A Rádio

Nossa História 

Foi fundada pelos Diários Associados de Assis Chateaubriand em 6 de fevereiro de 1954, e na época contava apenas com a concorrência da Rádio Clube do Pará.[1] Os Diários Associados, que já detinham os jornais A Província do Pará e A Vanguarda na capital paraense, também seriam responsáveis pela introdução da TV Marajoara, a primeira a operar no estado. Com a crise no grupo, a emissora foi vendida ao empresário Carlos Santos em 1982.

No período áureo do rádio a Super atingiu o seu melhor momento sendo a campeã no ibope, imbatível, permaneceu por mais de 20 anos como a líder de audiência, sempre se destacou pelos seus programas de auditório, suas emocionantes radionovelas, seu jornalismo sempre muito franco e fiel à veracidade dos fatos e uma forte cobertura do esporte local, em especial do futebol, sempre ao lado dos tradicionais Remo, Paysandu e Tuna Luso Brasileira, os três grandes clubes da capital.

Até hoje seus ouvintes recordam com saudosismo e muito carinho de alguns dos programas que foram ícones, marcaram e mudaram o curso do rádio no estado, como A Consciência do Braguinha, Alô, Alô Interior que ainda hoje segue firme no ar, Jornal Marajoara, A Patrulha da Cidade, o programa policial que segura uma tradição de mais de 50 anos e vários outros componentes de uma programação vitoriosa. Além de seus programas seus profissionais sempre fizeram a diferença como Adamor Filho, Ivo Amaral, Antonio Manuel Prata Tavares, Paulo Ferrer, Luiz Eduardo Anaice, Valdo Souza, Carlos Castilho, Ronald Pastor, Jayme Bastos, Tacimar Cantuária, Astrogildo Correia, Nazareno Mota, Jurandir Bonifácio, Eloy Santos, Almir Silva e outros brilhantes nomes inesquecíveis do rádio nortista.

Hoje, assim como em toda sua história seu carro-chefe é a cobertura esportiva que sempre está presente ao longo de toda a sua programação, porém de forma mais intensa nos programas Sentinela Esportiva, Marcha dos Esportes, Sabadão Esportivo, Show de Bola e Jogada Final, sempre após a Super Parada Esportiva.