Início Pará Polícias Civil do Pará e Espírito Santo prendem quadrilha interestadual

Polícias Civil do Pará e Espírito Santo prendem quadrilha interestadual

316

Uma operação conjunta das Polícias Civis dos Estados do Pará e Espírito Santo resultou nas prisões de quatro homens acusados de integrar uma associação criminosa interestadual especializada em arrombamentos de caixas eletrônicos com uso de maçarico. As informações sobre as prisões foram prestadas nesta quarta-feira, 31, pelos delegados Evandro Araújo e Tiago Belieny, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil do Pará.

Na ação conjunta foram presos, no momento em que chegavam ao Aeroporto Internacional de Val-de-Cans, em Belém, o catarinense Paulo Cézar Pires, 35 anos, de apelido Testa; e o paraense Carlos Alberto Cunha de Oliveira, 34, conhecido como Gordo. Ao mesmo tempo, foram presos, no Aeroporto de Vitória (ES), por uma equipe de policiais civis do Espírito Santo, os capixabas Thiers Rodrigo Pimentel Goes, 34, e Elio Corrêa Rezende, 39. As prisões foram realizadas na tarde do dia 30.

O grupo foi preso logo após ter arrombado um caixa eletrônico na cidade de Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, na Bahia. Após o crime, os acusados seguiram de avião para os estados do Espírito Santo e Pará. Com os presos, foram apreendidos vários equipamentos, como maçarico, mangueiras, chaves de fendas, alicates e pés-de-cabra, usados nos crimes.

No Pará, pelo menos quatro casos de arrombamento de caixas eletrônicos instalados em farmácias e supermercados em Belém e Castanhal, com uso de maçarico, são atribuídos ao grupo criminoso. Conforme o delegado Evandro Araújo, diretor da DRCO, a associação criminosa é especializada na modalidade conhecida como “corte”, em que arromba estabelecimentos comerciais e até bancos, com uso de ferramentas.

O grupo, explica o delegado, tem base na cidade de Joinville, em Santa Catarina, de onde vem a maioria dos integrantes. As prisões são resultado de investigações presididas pelo delegado Tiago Belieny, da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos a Bancos e Antisequestro, que faz parte da DRCO.

Ainda, segundo o delegado, o paraense preso estava na condição de foragido da Justiça. Ele chegou a ser preso pela DRCO, no ano passado. Já o catarinense também era conhecido da Polícia Civil paraense por ter sido preso, em 2014, por arrombamento a caixas eletrônicos em agências bancárias e tem, pelo menos, três mandados de prisão expedidos pelas Justiças de Santa Catarina, Maranhão e Pará.

O grupo age com um equipamento capaz de desligar alarmes em estabelecimentos comerciais. A partir disso, explica o policial civil, eles usam um maçarico para cortar os caixas eletrônicos e retirar o dinheiro do compartimento dos terminais de autoatendimento. Outros três catarinenses integrantes do grupo estão sendo procurados.

Por Walrimar Santos
Fonte:Agência Pará