Início Esporte Pará Marquinhos vê resposta positiva no Paysandu em empate, espera por jogadores e...

Marquinhos vê resposta positiva no Paysandu em empate, espera por jogadores e acredita em melhora do time

187

O técnico Marquinhos Santos conseguiu enxergar pontos positivos no Paysandu depois do empate em 0 a 0 com o Paragominas, na tarde deste domingo, pelo Campeonato Paraense. Para o treinador, a postura da equipe foi outra após a desclassificação e derrota para o Novo Hamburgo, pela Copa do Brasil. Logo na primeira pergunta da entrevista coletiva depois do embate de hoje, ele fez um resumo da situação atual do Lobo e afirmou acreditar na recuperação da equipe, que vem de três jogos sem um resultado positivo.

– Em relação aos dois últimos jogos hoje a resposta foi positiva, buscamos a vitória. No primeiro tempo tivemos a posse, infelizmente a chuva caiu, atrapalhando o desempenho no gramado, não é a nossa característica. Perdemos jogadores como Diego Ivo, o Renato (Augusto), ainda temos o Mateus (Muller) e o Walter para estrear, criando uma situação mais competitiva. Me agradou o Willyam, atleta da base que temos feito um trabalho especial e deu uma resposta positiva.

– Se não fizemos um jogo vistoso, até pelo clima e condição do gramado, fomos mais competitivos, principalmente em relação ao jogo contra o Novo Hamburgo. É difícil, teve a viagem longa, não é muleta. Temos essa conversa entre os treinadores pelo WhatsApp, que os estaduais estão tendo até três jogos durante a semana. Nós temos dois, mas o campo pesado, o clima equivale a três. É ter equilíbrio para passar pela tempestade. Tenho certeza que o grupo vai nos dar uma resposta.

Marquinhos Santos tem perdido atletas por lesão e problemas físicos, caso do zagueiro Diego Ivo – principal liderança do elenco Alviceleste – além dos volantes Cáceres e Renato Augusto. Sem citar nomes, o comandante disse que espera contar com, pelo menos, dois desses atletas para o confronto contra o Interporto, na próxima sexta-feira, pela Copa Verde, buscando qualificar ainda mais a formação bicolor para a sequência de jogos.

– A gente sente. Montamos uma espinha e quando se tem as ausências ela se quebra. Perdemos o Diego Ivo, Renato, Cáceres, que são referências. Isso cria uma instabilidade em alguns jogos. Temos meninos pouco rodados, que vêm de times grandes, mas sentem em função do momento delicado. Estão adquirindo mais maturidade e tranquilidade, a personalidade é de cada indivíduo. Acreditamos que, na sexta-feira, teremos pelo menos dois em condições. O Danilo entrou no segundo tempo e criou ritmo de jogo. Esperamos ter uma equipe mais qualificada, encaixando as peças e soltando mais o time para as competição ao longo da temporada e, no estadual, buscar o título.

Marquinhos sabe que o momento é de cobrança no Paysandu pela queda de desempenho técnico e tático. As exigências, segundo o técnico, não vêm só dos torcedores, mas, também, da diretoria do clube. Entretanto, ele acredita que o seu trabalho será melhor avaliado com o tempo.

– A gente conversa, temos reuniões internas, existe a cobrança por parte do Tony e do Mazzuco pelo que representa, o Paysandu é uma equipe grande e precisa vencer sempre, mas entendemos que não tem como vencer todas. É continuar procurando fazer um trabalho excelente, confiamos nos atletas.

– A partir de agora, o trem que descarrilhou vai entrar novamente nos trilhos. Vamos colher na sequência os resultados. O trabalho tem que ser avaliado, pelo menos, no final de uma competição, não no meio e no início de temporada. Só a partir dai é possível avaliar melhor o que está sendo feito.

Fonte:G1