Início Pará Ações de defesa sanitária geram avanços no setor agropecuário

Ações de defesa sanitária geram avanços no setor agropecuário

15

O ano de 2017 foi de crescimento para o setor agropecuário paraense. A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) garantiu, por meio de ações de defesa sanitária, importantes títulos de áreas livres tanto no campo vegetal como no animal. Esse trabalho de defesa sanitária busca oferecer aos mercados regularidade e qualidade na produção, nas áreas da agricultura e pecuária. Esses dois segmentos influenciam diretamente na balança comercial, gerando emprego e renda.

Os títulos conquistados demonstram a qualidade dos produtos comercializados pelos produtores paraenses, permitindo a expansão de mercados para outros estados e países. Este ano, o Pará recebeu o reconhecimento pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de que o estado é 100% livre da Febre Aftosa. Até então, oito municípios paraenses que possuem divisa com os estados do Amazonas e Amapá, áreas que eram consideradas de médio e alto risco para aftosa, respectivamente, ainda apareciam como zonas de risco.

Desde 2014 o Pará é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como Estado livre da febre aftosa com vacinação. Agora, começa a dar os primeiros passos para se tornar área livre da doença sem vacinação até 2020. O Mapa já apresentou o plano para retirada da vacina em todo o País, e até 2023 o Brasil deve conquistar o status de zona livre da aftosa sem vacinação.

“Antes da criação da Adepará, o índice de vacinação não chegava a 60%. Com a criação da Agência e o trabalho junto ao produtor, sobre a importância da vacinação, o índice passou a ser acima de 95%, chegando a 100% em alguns municípios paraenses. Agora, nosso trabalho é de convencimento junto ao produtor para a retirada da vacinação, para que possamos chegar ao status de livre da aftosa sem vacinação. Isso vai significar para o Estado um importante avanço para exportação da carne paraense”, explicou o diretor geral, Luiz Pinto.

O pequeno produtor rural José Sequeira, falou sobre a importância de alcançar o status de livre da aftosa sem vacinação. “Isso vai diminuir nosso custo e o trabalho com a vacinação. Sempre realizei todas as etapas da campa”, afirmou.

Polos Citrícolas

Outro importante título conquistado pelo estado, a partir das ações de defesa sanitária, foi o de Área Livre de Cancro Cítrico. Em março deste ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reconheceu o estado do Pará como área de praga ausente para o cancro cítrico, de acordo com os termos da instrução normativa 37/2016, que estabelece os critérios e procedimentos para o estabelecimento e manutenção do status fitossanitário relativo à praga.

O título conquistado permitiu a criação de dois Polos Citrícolas, no nordeste e oeste paraense. Por meio do decreto nº.1943, o Governo do estado criou os polos e dispôs sobre a produção, introdução e o comércio de frutos, mudas, borbulhas ou qualquer outro material vegetativo do gênero citrus.

O próximo passo é a implantação em janeiro de 2018 das barreiras sanitárias em Irituia e Ourém, que busca diminuir o risco de introdução e comercialização de frutas cítricas e material de propagação vegetativa, procedentes de Estados com ocorrência de pragas quarentenárias, além de proteger as áreas livres de Cancro Cítrico.

Renovação da frota de veículos

Inserida nas ações de revitalização e reequipamento das unidades regionais e Unidade Local de Sanidade Agropecuária (Ulsa) nos municípios, a Adepará recuperou 125 e adquiriu 120 veículos entre caminhonetes e motocicletas, para melhorar a frota e as condições de trabalho das equipes que atuam na defesa agropecuária no Estado.

Graziela de Oliveira, gerente regional em São Geraldo do Araguaia, no sul do Pará, ressaltou a importância do veículo para as ações da Adepará. “O carro é importante para podermos dar continuidade ao trabalho de defesa sanitária. É primordial ter um veículo em bom estado, para que possamos realizar nosso trabalho e chegar até as localidades mais distantes”, disse ela.

Novo sistema

Uma importante conquista para os produtores rurais do estado, e que representa um grande avanço, é a implantação do novo Sistema de Integração Agropecuário (Siapec – 3). Com essa nova tecnologia, o produtor vai ganhar em agilidade e economia ao evitar deslocamentos e menos burocracia na hora de comercializar o rebanho bovino, além de gerar transparência e segurança nos serviços executados pela Adepará.

O Sipaec-3 já começou a ser implantado e vai trazer novas funções e facilidade de acesso ao produtor, inclusive a emissão da GTA e nota fiscal juntas. Todas as unidades da Adepará estão conectadas ao sistema, que é on-line e parametrizado (com elementos de controle) de informações.

Segundo Sylvio Maggessi, diretor da empresa idealizadora do sistema, o diferencial da nova versão é a forma de operar o sistema. “É um portal de serviços que vai descentralizar o atendimento ao público alvo da defesa agropecuária. Por exemplo, atualmente, quando o produtor quer utilizar o serviço da Adepará, tem que ir até o escritório para fazer cadastro, notificação de vacinação, emissão de Guia de Trânsito Animal, etc. Com o Siapec 3, ele vai poder fazer tudo isso direto pela internet, utilizando um computador convencional ou um smartphone”, ressaltou.

Por Inara Soares
Fonte:Agência Pará