Início Esporte Pará Festival de Cavalo Marajoara resgata cultura da região

Festival de Cavalo Marajoara resgata cultura da região

36

Dona de um dos habitats mais exóticos da Amazônia, o arquipélago do Marajó vai sediar o 1º Festival de Cavalo Marajoara, que será realizado em Soure, cidade considerada capital da região, que conta com belas paisagens e cenários.

De 20 a 22 de outubro, cerca de 10 mil pessoas são esperadas, em uma programação que tem como principal atrativo o enduro do cavalo marajoara, prova com mais de 30 anos de tradição, tendo um percurso de 160 km, passando por fazendas, igarapés e trilhas com obstáculos, devendo reunir 300 cavaleiros em dois dias de competição.

“O evento vai ser uma grande confraternização da cultura marajoara. Será uma grande oportunidade de ver e praticar modalidades naturais daqui. O festival favorece não só o esporte e a cultura, mas também o turismo local, além de ser um forte meio para o intercâmbio entre os municípios que irão participar”, revelou Guto Gouvêa, prefeito de Soure.

Além do enduro, outras sete modalidades tradicionais e não tradicionais poderão ser disputadas: corrida do cavalo marajoara, luta marajoara, basquete a cavalo, corrida de búfalos, enduro de ciclismo, prova de sela rápida e corrida de argolinha, as duas últimas comuns em competições de cavalgadas. A inscrição para as provas começa nesta segunda-feira, 16, na Secretaria de Cultura e Esporte de Soure.

O festival vai reunir quatro municípios do Marajó. Cachoeira do Arari, Salvaterra, Santa Cruz do Arari e Soure são cidades vizinhas, que possuem acesso terrestre, o que facilita a interação e o transporte dos animais para a competição.

“É uma satisfação poder incentivar projetos que reúnem o esporte com as nossas tradições culturais. Esse evento tem como objetivo revelar e valorizar as belezas de nossa Amazônia”, declarou Renilce Nicodemos, secretária de Estado de Esporte e Lazer do Pará (Seel).

Obstáculos naturais são os grandes atrativos das provas de resistência

Um dos principais desafios que os competidores irão enfrentar no percurso das modalidades de enduro são as “terruadas” dos campos Marajoaras, buracos formados pelas pisoteadas dos cavalos e búfalos durante a transição do período invernoso para a época mais seca, que acontece no segundo semestre do ano. As altas temperaturas do período completam o cenário quase desértico que será vivenciado.

Essas características têm atraído ciclistas de outros estados brasileiros e também de fora do país. Atletas do Ceará, Amazonas, da França e Itália devem encarar o trajeto, que mistura encantos turísticos e aventura.

“A procura de atletas de fora do estado tem aumentado. Pessoas até de fora do país está entrando em contato com a gente. Esse evento é uma grande oportunidade de mostrarmos um pouco da nossa cultura para o mundo”, afirma Nando Martins, um dos coordenadores do evento.

A ilha do Marajó é a maior ilha fluviomarinha do planeta e um dos santuários ecológicos mais preservados da Amazônia. Os cavalos e búfalos estão presentes nas ruas da população da região. A relação dos marajoaras com os dois animais passa também por questões econômicas, de culinária, de transporte e culturais.

O 1º Festival de Cavalo Marajoara foi elaborado pela Prefeitura de Soure, com o objetivo de resgatar a cultura da região presente na microrregião dos campos do arquipélago. O carimbó marajoara e a gastronomia típica da região, como o “frito do vaqueiro”, o queijo de búfala e a coalhada, enriquecerão a programação. O evento tem o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Pará.

Por Adriana Pinto
Fonte:Agência Pará